A vida que ninguém vê

Ao contar suas histórias, projeto busca dar voz e dignidade a moradores de rua de São Paulo

Débora Zanelato

Ao contar suas histórias, projeto busca dar voz e dignidade a moradores de rua de São Paulo | <i>Crédito: Vida Simples Digital
Ao contar suas histórias, projeto busca dar voz e dignidade a moradores de rua de São Paulo | Crédito: Vida Simples Digital

O que está invisível na cidade? Com essa pergunta, André Soler e o amigo Vinicius Lima propuseram a jovens em uma oficina que fotografassem aquilo que ninguém reparava em São Paulo. Os amigos notaram algo que passava invisível também nas imagens: os moradores em situação de rua. “Mesmo quando apareciam nas fotos, essas pessoas estavam distantes, não estavam sendo fotografadas. Elas continuavam invisíveis”, conta André, um dos idealizadores do projeto SP Invisível, que retrata moradores de rua e conta suas histórias de vida através da página no Facebook. “É um jeito de dar voz e dignidade para essas pessoas. Dar valor para essas histórias. Para que a gente possa abrir os olhos e começar a ver essa realidade”, diz André, que organiza agora uma ceia de Natal através de financiamento coletivo. Por trás de cada rosto, histórias de vida que surpreendem e nos aproximam de mundos por vezes incompreendidos. “Eu sou usuária de crack, eu não sou noia. Trabalho, consigo meu dinheiro, pago meu hotel, minha refeição e uso minha droga com o que consigo”, diz Ana, 60 anos. Entre escolhas, erros e acertos, cada relato torna mais próximos e humanos aqueles que, por muitas vezes, foram para nós completos invisíveis.

SP Invisível https://www.facebook.com/spinvisivel/
 

04/12/2017 - 11:23

Conecte-se

Revista Vida Simples