As xilogravuras de J. Borges

Exposição comemora os 80 anos do artista pernambucano, famoso pelos seus desenhos e sua literatura de cordel

Débora Zanelato

- | <i>Crédito: Vida Simples Digital
- | Crédito: Vida Simples Digital
Menino criado no campo, J . Borges começou a trabalhar desde cedo com os pais, agricultores em Bezerros, Pernambuco. Não havia livros escolares, mas a paixão pela poesia aproximou Borges da literatura de cordel. “Eu me criei no sítio, e a única informação era dada pelo cordel que meu pai comprava na feira pra gente ler”, revela Borges, que agora recebe uma exposição em São Paulo para comemorar seus 80 anos de idade. A mostra tem uma coletânea de xilogravuras novas e inéditas  e outras que marcaram a trajetória do artista, que é hoje considerado patrimônio imaterial da cultura brasileira. Ele desenha diretamente na madeira, equilibrando os cheios e vazios para compor seus desenhos, sem esboços ou rascunhos. “O que me inspira é a vida, é a continuação, é o movimento. É aquilo que eu vejo, aquilo que eu sinto”, reflete.

 J. Borges 80 anos
CAIXA Cultural
São Paulo Praça da Sé, 111
 

08/05/2017 - 10:50

Conecte-se

Revista Vida Simples