Cicatrizes contam histórias de vida em exposição no metrô

Com celular e leitor de QR Code, usuário é remetido à página em rede social com detalhes das histórias das 18 pessoas retratadas na exposição fotográfica da Estação Paulista na Linha 4-Amarela em São Paulo

Letícia Gerola

As pessoas podem ter relacionamentos complexos com suas cicatrizes e com as histórias que as originaram | <i>Crédito: Divulgação
As pessoas podem ter relacionamentos complexos com suas cicatrizes e com as histórias que as originaram | Crédito: Divulgação

A Estação Paulista da Linha 4-Amarela recebe a mostra Cicatriz | Ação, exposição que reúne cliques da fotógrafa Alice Vasconcelos. Nas fotos, 18 pessoas exibem suas cicatrizes que remetem a momentos especiais de suas vidas. Para descobrir o que se esconde por trás dessas marcas corporais, o usuário pode usar o seu telefone celular. Cada foto traz um QR Code (espécie de código de barras) que remete à página do projeto nas redes sociais.
  “As pessoas podem ter relacionamentos complexos com suas cicatrizes e com as histórias que as originaram. Buscamos estabelecer um diálogo entre dor, beleza e aceitação, sensibilizando o público sobre essas histórias corporais e valorizando-as como registro biográfico”, explica a artista. A escolha da Linha 4-Amarela não foi aleatória, segundo Alice. “Metaforicamente, o transporte subterrâneo é uma marca da cidade que, como as cicatrizes da pele, possuem um contexto, uma história, e transformam o ambiente e o cotidiano das pessoas”, completa. 


Exposição Cicatriz | Ação
Até 31 de maio na Estação Paulista da Linha 4-Amarela

05/05/2017 - 16:13

Conecte-se

Revista Vida Simples