Como encontrar no campo uma vida mais plena

Conheça os bastidores de "O Livro da Natureza", o curta-documentário que conta a história de uma família vivendo em unidade com o meio ambiente

Letícia Gerola

Henrique Sousa, proprietário da Fazenda Ouro Fino, cultiva sua terra utilizando os fundamentos da Agricultura Sintrópica | <i>Crédito: Henrique Manreza/O Livro da Natureza
Henrique Sousa, proprietário da Fazenda Ouro Fino, cultiva sua terra utilizando os fundamentos da Agricultura Sintrópica | Crédito: Henrique Manreza/O Livro da Natureza

“O Livro da Natureza” é o primeiro filme do fotojornalista e filmmaker Henrique Manreza, que já teve passagem pelos jornais Folha de São Paulo e Brasil Econômico. A repercussão do vídeo que conta a história da Família Sousa se espalhou. Em 24h, já havia alcançado 32 mil visualizações e mais de 1.000 compartilhamentos no Facebook.
  O documentarista foi até o interior na Bahia para contar a história dessa família que conseguiu cultivar sua própria floresta produtiva no decorrer dos 24 anos que moram na região. Henrique Sousa, proprietário da Fazenda Ouro Fino, cultiva sua terra utilizando os fundamentos da Agricultura Sintrópica, técnica desenvolvida pelo agricultor e pesquisador suíço Ernst Götsch.
  O plantio foi alicerce da família, mas a história deles vai além. Adeptos de uma vida simples, Henrique e Rose Sousa também foram responsáveis pela educação dos seus seis filhos até o ensino fundamental. Hoje os três mais velhos já não moram mais na fazenda. Um está terminando o curso de formação de sargento no exército e os outros dois cursam medicina. “O meu maior interesse com esse documentário é espalhar inspiração e o sentimento de esperança e curiosidade, mostrando que é possível viver com qualidade fora do sistema tradicional”, explica Henrique, que divide os bastidores dessa produção.

De onde surgiu a inspiração para o curta, você já conhecia a família Sousa?

Um grande amigo meu tomou uma decisão parecida com a dessa família: ele trabalhava com informática e decidiu ir para o campo em busca de uma vida mais simples. Ele fez o curso do Ernst Götsch, grande papa da agricultura suíça, junto com o Henrique Sousa. Foi quando acabei conhecendo essa família e soube que eles queriam organizar o conhecimento que eles adquiriram e a história deles em um site, achei a ideia ótima e fui conversar com eles para ser o redator da plataforma. Ficamos três horas conversando! Estabelecemos um vínculo instantâneo e, por coincidência, eu já estava planejando um projeto audiovisual há alguns meses, só faltava o tema ideal. Percebi que era a história deles que eu queria contar. Já estava programado que eu iria para a Bahia ficar um tempo por lá para fazer o site, mudamos um pouco os planos: fui para a Bahia com um roteiro e o equipamento necessário para o curta.

Quanto tempo levaram as gravações na floresta deles?

Foi muito mais rápido do que eu pensei. Como conversamos muito no dia da minha “entrevista de emprego”, eu já tinha o roteiro todo pronto quando fui pra lá e sabia as imagens que queria captar. Viajei com a ideia de ficar três dias, mas atolei o carro no caminho pra lá e acabei tendo menos tempo que o planejado... Foi realmente uma aventura! No fim das contas, foi um dia e meio de gravação. Quando retornei pra São Paulo bateu aquela dúvida: será que eu tinha todo o material que eu queria? Felizmente sim, gostaria de ter ficado mais tempo com eles, mas foi suficiente para a produção.

Após 24h do lançamento, o curta alcançou a marca de 32 mil visualizações. Você acha que a busca por um estilo de vida fora do sistema das grandes cidades é uma tendência?

Eu acredito que sim. É um movimento pequeno por enquanto, mas a cada ano que passa ele cresce significativamente, tenho certeza.  As pessoas estão vendo que é possível viver com menos - e não é só quem sempre viveu no campo que consegue viver essa realidade de simplicidade, várias pessoas que moram em grandes metrópoles estão indo para a natureza em busca de uma vida mais simples e estão super felizes e bem sucedidas. Claro que você não vai ganhar muito dinheiro, mas a grande questão é que você não precisa mais de tanto dinheiro... Não tem mais o consumo pra se mostrar ou pra ser aceito, você realmente se conecta consigo mesmo e vive com o conforto necessário, sem os supérfluos das grandes cidades.

O nome do curta é “Livro da Natureza”. Você acha que foi isso que os Sousa aprenderam a fazer, ler a natureza?

Na agricultura sintrópica, você gera vida. Não é o esquema de plantio que desgasta o solo e suga os nutrientes. É uma agricultura que fera energia positiva porque você cria uma floresta ao mesmo tempo em que tira o seu sustento. Eles não são unidos só como família, mas como família e natureza.

O que você aprendeu com essa experiência que mais te marcou?

Simplicidade. Eles realmente vivem uma vida simples por opção, foi isso que eles buscaram e é isso que eles querem pra vida. Percebi que sinceramente não precisamos de tanto e que, principalmente, é uma escolha. Ninguém precisa seguir a boiada, morar em uma cidade caótica e acumular dinheiro às vezes parece a única opção, mas não é. Tem muitas outras e podemos escolher o que fazer, saí de lá com essa esperança: podemos ser diferentes e viver com menos.

Saiba mais: o que é Agricultura Sintrópica

A Agricultura Sintrópica trabalha com a recuperação pelo uso. Ou seja, o estabelecimento de áreas altamente produtivas e independentes de insumos externos tem como consequência a oferta de serviços ecossistêmicos, com especial destaque para a formação de solo, a regulação do micro-clima e o favorecimento do ciclo da água.
  Trabalhar a favor da natureza e não contra ela, associar cultivos agrícolas com florestais, recuperar os recursos ao invés de explorá-los e incorporar conceitos ecológicos ao manejo de agroecossistemas são algumas das características da Agricultura Sintrópica. Saiba mais em: http://agendagotsch.com/pt/syntropy.

 

Assista ao curta/documentário O Livro da Natureza:

Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=XQLMHhTd5AI
Facebook: https://www.facebook.com/olivrodanaturezadoc/



 

01/06/2017 - 08:05

Conecte-se

Revista Vida Simples