Crochê pelos refugiados

Artista recobre casas com linha rosa para lembrar os mais de 65 milhões de pessoas que precisaram abandonar seus lares

Débora Zanelato

- | <i>Crédito: Vida Simples Digital
- | Crédito: Vida Simples Digital
A cada minuto, 2 4 pessoas deixam suas casas rumo a lugares desconhecidos para escapar de perseguições, guerras e conflitos. Hoje, segundo a ONU, são 65 milhões de refugiados no mundo, número maior do que o da Segunda Guerra Mundial. Depois de conhecer, na Suécia, ucranianos e sírios que precisaram largar tudo para trás, a artista plástica Olek, que vive em Nova York, resolveu transformar sua arte com crochê em algo que chamasse a atenção para a falta do lar que muita gente agora enfrenta. Aí,  com a ajuda de colaboradores e refugiados, ela recobriu duas casas com crochê de linha rosa. “A Nossa Casa Rosa é sobre a jornada, sobre nós enquanto comunidade. Trata-se de ajudar uns aos outros, porque somos mais fortes juntos”, conta ela, que vê em sua intervenção artística uma forma de esperança, um símbolo de um futuro melhor. “Não importa se a vida nos coloca para baixo, podemos sempre começar de novo”, diz.

Our Pink House oleknyc.com

26/01/2017 - 18:04

Conecte-se

Revista Vida Simples