Drama dos refugiados é tema de “Exodus”

Com exibição gratuita esse sábado, o documentário que passou pelo Sudão do Sul, Argélia, Congo, Mianmar, Cuba, Brasil, Alemanha conta histórias impressionantes na mostra promovida pela Agência da ONU para Refugiados

Vida Simples Digital

Cena de Crédito: Divulgação" title="Cena de "Exodus" narrado por Wagner Moura | Crédito: Divulgação">
Cena de "Exodus" narrado por Wagner Moura | Crédito: Divulgação

O documentário “Exodus - De onde vim não existe mais” conta a incrível história de seis pessoas de diferentes partes do mundo e será exibido gratuitamente sábado, 24 de junho, às 19 horas, no CineSesc. O filme mostra pessoas que foram forçadas a deixar seus lares e construir suas vidas sob novas e desafiadoras circunstâncias. Napuli, uma ativista política, teve de deixar o Sudão do Sul através da Uganda até a Alemanha, onde está lutando por seus direitos de permanecer ali. Tarcha nasceu no Saara Ocidental e teve que fugir para a Argélia, em 1975, devido à invasão dos Marrocos, indo viver desde então em campos de refugiados. Nascida na Síria, Dana chegou ao Brasil via Turquia e está desesperada para poder reunir sua família no Canadá; e Nizar, um Sírio-Palestino, na sua jornada do Brasil, via Cuba, à Europa, onde ele espera receber refúgio e levar sua família. Bruno, de Togo, levou nove anos em campos na Alemanha, até ser finalmente legalizado e passar a ajudar outros refugiados desde então. Lahtow e Mahka, de Kachin, Mianmar, tiveram que deixar suas casas devido a conflitos militares; ainda que no meio de uma zona de guerra, Mahka enfrenta o perigo para visitar seu lar abandonado.
  "Exodus" faz parte da mostra internacional de cinema “Olhares sobre o Refúgio”, promovida pelo ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e seus parceiros como parte das celebrações em torno do Dia Mundial do Refugiado, no último dia 20 de junho. A produção narrada por Wagner Moura tem roteiro e direção de Hank Levine (produtor de “Lixo Extraordinário” e “Praia do Futuro”) e produção de Fernando Sapelli e Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”). Foi realizado em coprodução com a Alemanha. As filmagens passaram por diversos países como Sudão do Sul, Argélia, Congo, Mianmar, Cuba, Brasil e Alemanha

23/06/2017 - 17:47

Conecte-se

Revista Vida Simples