Infância livre

Pais registram cotidiano da filha em brincadeiras e na convivência próxima à natureza

Débora Zanelato

- | <i>Crédito: Vida Simples Digital
- | Crédito: Vida Simples Digital
 Um simples quintal arborizado pode ser muito mais rico do que as experiências oferecidas pelos celulares e tablets às crianças. Yasmin, 6 anos, brinca com as folhas, se balança na rede, machuca o joelho e se diverte na água com o irmão em sua casa em Brasília. Essas e outras cenas cotidianas e tão expressivas pela essência da infância foram registradas pelos pais, Irmina Walczak e Sávio Freire, entre 2012 e 2016. Agora eles lançam o livro Retratos pra Yayá. “Trata-se de um convite para ver a vida de outra forma: com menos telas e mais barro, menos compras e mais brincadeiras, menos coisas e mais sensações”, escreve Rodrigo Fernando Pereira no prefácio da obra. Irmina e Sávio acreditam que as crianças trazem aprendizados aos adultos através do seu modo de olhar para o mundo. E a natureza pode trazer muita conexão. “Ela é uma professora muito sábia e convincente. As crianças são ótimas observadoras e, conectadas à natureza e a seus processos lentos, rapidamente entendem que tudo acontece na hora certa; criam um referencial que serve para compreender muitas coisas, além da oportunidade de experimentar seu corpo em movimento e, com isso, conhecer-se”, diz Irmina, para quem a infância permite levar para a fase adulta a leveza e a sabedoria daqueles que o escritor Rubem Alves chamava de “seres do prazer”.

 Retratos pra YaYá https://www.panoptesfotografia.com

09/05/2017 - 11:53

Conecte-se

Revista Vida Simples