Memória do cangaço

Fotógrafo resgata história de Lampião, Maria Bonita e seu bando refazendo os caminhos por eles percorridos

Débora Zanelato

- | <i>Crédito: Vida Simples Digital
- | Crédito: Vida Simples Digital
 “Tive a sorte de nascer em um estado do Nordeste e mantenho uma atração muito forte pelo cenário do sertão e da caatinga, lugar de gente valente que consegue sobreviver enfrentando todo tipo de adversidade humana”, diz o fotógrafo Márcio Vasconcelos ao contar sobre sua ideia de explorar e retratar os caminhos feitos por Lampião, Maria Bonita, Corisco e Dadá e, assim, preservar a memória do cangaço. Ao longo dos 4 mil quilômetros percorridos por cinco estados (Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia e Ceará) em dois meses, as lentes de Márcio também fotografaram personagens ainda vivos que fazem parte dessa história. “Ela ainda é muito viva no imaginário popular do sertão. Parece que foi uma novela de TV transmitida há pouco tempo”, diz ele, que conta ter se emocionado ao conversar com testemunhas de idade tão avançada mas lúcidas sobre o que viveram. O trabalho de Márcio virou livro, Na Trilha do Cangaço – O Sertão Que Lampião Pisou, recém-lançado pela Editora Vento Leste. “Mergulhar em temas como esse é de uma importância muito grande. O que faço é mais uma forma de contribuir para que a história não se torne apenas uma lenda.” 

Na trilha do cangaço bit.ly/1RZOWR6

08/06/2016 - 16:30

Conecte-se

Revista Vida Simples