Memorial da Resistência exibe exposição sobre presos políticos

“Carta Aberta – correspondências na prisão” revela como foi a comunicação entre os presos políticos e seus familiares e amigos por meio de cartas, nos anos de chumbo

Letícia Gerola

A mostra composta de aproximadamente 70 cartas, enviadas de dentro e fora da prisão | <i>Crédito: Divan Trimigliozzi/Memorial da Resistência
A mostra composta de aproximadamente 70 cartas, enviadas de dentro e fora da prisão | Crédito: Divan Trimigliozzi/Memorial da Resistência

O Memorial da Resistência apresenta até 20 de março a exposição Carta Aberta – correspondências na prisão, uma mostra composta de aproximadamente 70 cartas, enviadas de dentro e fora da prisão, trocadas entre presos políticos e seus familiares e amigos entre os anos de 1969 a 1974. Também integram a mostra fotografias, cartões comemorativos e de solidariedade e artesanatos produzidos na prisão e uma obra.
                Além de um testemunho da ex-presa política Maria Aparecida Costa Cantal sobre a importância das correspondências naquele contexto, outros testemunhos estão sendo coletados durante o período da exposição. “A realização dessa exposição só foi possível graças à colaboração e a confiança de ex-presos políticos e familiares convidados que, ao entregarem suas cartas, permitiram que fossem abertas, lidas e expostas ao público”,  explica Luiza Giandalia, curadora da exposição.

               
A exposição foi realizada para contar um pouco sobre um momento crucial na vida de pessoas que lutaram pelos ideais de liberdade e democracia, usurpados pela Ditadura Civil-Militar entre os anos de 1964 e 1985 no Brasil. São cartas que foram mantidas sob os cuidados dos próprios ex-presos e familiares por mais de quatro décadas, e que agora voltam a ganhar vida ao serem abertas. Temas marcantes permeiam o s temas das cartas: a chegada na prisão; os cuidados para informar sem causar demasiada preocupação; as inúmeras descobertas e superações individuais e coletivas e os processos de julgamentos.

Exposição: Carta Aberta – correspondências na prisão
Memorial da Resistência de São Paulo
Sala 2 – 3º andar
Largo General Osório, 66 – Luz
Encerramento: 20 de março de 2017
Funcionamento de quarta a segunda-feira, das 10h às 18h
Entrada gratuita

16/02/2017 - 16:12

Conecte-se

Revista Vida Simples