Mulheres participam de formação em arte, cultura e costura no Instituto Tomie Ohtake

A ação irá oferecer formação técnica e cultural a 20 mulheres em situação de vulnerabilidade social

Vida Simples Digital

Serão cerca de 90 horas de formação, com dois encontros por semana. | <i>Crédito: Divulgação
Serão cerca de 90 horas de formação, com dois encontros por semana. | Crédito: Divulgação

O Instituto Tomie Ohtake e o Estúdio Sem Nome, com apoio do Instituto C&A, apresentam, entre agosto e outubro, o projeto ‘Formação em Arte, Cultura e Costura’ voltado para mulheres em situação de vulnerabilidade social. A ação deve estimular uma busca coletiva por novas linguagens que contribuam para o desenvolvimento pessoal e o autoconhecimento das participantes. Vinte mulheres, selecionadas para participar das oficinas, receberão ajuda de custo para alimentação e transporte, além do maquinário necessário para realização do curso.

Entre os objetivos específicos desta formação estão o reconhecimento ou construção de identidade, a criação de relações entre as participantes e os espaços de cultura da cidade, o subsídio ao trabalho de costura a partir da abordagem de temas das artes visuais como linha, forma, cor e composição, além de promover a consciência ambiental, social e de gênero. Serão cerca de 90 horas de formação, com dois encontros por semana. Elas terão como desafio criar uma bolsa feminina a partindo do estudo da exposição “Invenções da Mulher moderna – para além de Anita e Tarsila”, em cartaz no Instituto Tomie Ohtake até o dia 20 de agosto.

Desde o início de 2017, o Instituto Tomie Ohtake realiza ações regulares na região do Canindé, oferecendo cursos, oficinas de arte e uma programação cultural que envolve saraus, teatro, dança e música. Essas atividades envolvem a articulação de cerca de 10 serviços de saúde, educação e assistência social como escolas públicas, unidade básica de saúde e centros de acolhida para pessoas em situação de rua, somando um público potencial com cerca de 4.500 pessoas. As atividades são planejadas a partir da escuta dos interesses dos participantes.

O apoio do Instituto C&A é fruto da iniciativa ‘Mulheres que Inspiram’ em 2016, que convidou os funcionários da C&A a compartilharam suas selfies em homenagem à sua mulher inspiradora. Com mais de 80% de participação dos funcionários, a campanha gerou uma doação de mais de R$ 500 mil destinado a apoiar instituições brasileiras que trabalham para capacitar mulheres, parte desse valor arrecadado está sendo destinado ao projeto em conjunto com o Instituto Tomie Ohtake.

“A campanha Mulheres que Inspiram conecta os funcionários da C&A aos desafios sociais das mulheres e fortalece as comunidades onde a empresa atua, por meio do apoio a projetos de empoderamento das mulheres. Estamos muito contentes em poder potencializar ações o projeto ‘Formação em Arte, Cultura e Costura’, liderado pelo Instituto Tomie Ohtake e pelo Estúdio Sem Nome, declara a gerente de Fortalecimento de Comunidades do Instituto C&A, Daniela Pavan.

 

21/08/2017 - 12:28

Conecte-se

Revista Vida Simples