O que aprendi como voluntário na África

Livro mostra voluntariado como forma sustentável de viajar, dar voz aos povos do mundo e ampliar horizontes

Vida Simples Digital

Livro conta as experiências de um voluntário no continente africano | <i>Crédito: Divulgação
Livro conta as experiências de um voluntário no continente africano | Crédito: Divulgação

O que leva alguém a encarar um voluntariado no Zimbábue, em novembro de 2014, quando a epidemia de Ebola assolava o noroeste da África, ou integrar uma ONG que promove caminhada com leões em ambiente selvagem? Para o embaixador da African Impact no Brasil, Gustavo Leutwiler Fernandez, é, acima de tudo, a oportunidade de entrar em contato com outros povos e culturas, mudar estereótipos que enclausuram, e obter o autoconhecimento para encontrar propósitos de vida.

Suas experiências acabam de virar livro. Africanamente: o Que Vivi e Aprendi Como Voluntário na África (Autografia Editora) são os relatos de viagem de Gustavo, voluntário no país em três oportunidades: na África do Sul, em 2013, trabalhando em um hospital infantil; no Zimbábue, em 2014, atuando na Comunicação e Marketing de uma ONG voltada à preservação ambiental; e em 2016, vivendo junto à tribo Hamar, no sul da Etiópia.

Na obra, Gustavo narra a emoção que sentiu, por exemplo, ao se despedir dos garotos que estavam internados no hospital onde trabalhou. “Desabei em lágrimas, desesperado porque estava indo embora. Enquanto isso, as crianças me olhavam com um misto de curiosidade e indiferença. Percebi que aquele período em que fui voluntário mudou minha vida, mas, para eles, foram dias comuns, como todos os outros. Assim como eu, centenas de outros voluntários chegam e vão embora a toda hora.” 

Além das histórias vividas do outro lado do Atlântico, o livro apresenta uma África que vai muito além da ideia de pobreza, fome e vida selvagem e é uma tentativa de quebrar esse estereótipo. Para Gustavo, é preciso estar em V&A Waterfront, na Cidade do Cabo, África do Sul, para se convencer de que é um lugar extremamente elegante, requintado, repleto de bares, restaurantes, lojas, shopping centers, museus e outras atrações. “Enquanto eu estava no píer, tomando uma cerveja e jantando, diante de um visual impressionante, as pessoas no Brasil me mandavam mensagens perguntando se eu estava seguro, se tinha o que comer e se não tinha sido atacado por um leão”.

Gustavo é formado em Comunicação Social, viajante, voluntário, embaixador da African Impact no Brasil. Fundou a Trip Voluntária, uma instituição que tem como objetivo quebrar estereótipos de povos e culturas. Para seguir com seu trabalho, quer organizar em 2018, um tour político e voluntariado para a região da Palestina.

 
Africanamente: o que vivi e aprendi como voluntário na África, Autografia, Gustavo Leutwiler Fernandez, R$ 44,90

12/12/2017 - 11:53

Conecte-se

Revista Vida Simples