A força da tradição

Na região da Cordilheira dos Andes a travessia só é possível por conta de um grupo de homens e seus animais, em um trabalho que se mantém há séculos

Ana Holanda

- | <i>Crédito: Vida Simples Digital
- | Crédito: Vida Simples Digital
Eles conduzem grupos de escaladores pelo Aconcágua, de meados de novembro a março, no verão, única época possível de trafegar por ali. Eles são os arrieros, profissionais que há mais de 300 anos tornam a travessia segura na região montanhosa na fronteira entre a Argentina e o Chile. Não é trabalho para qualquer um. É algo que se passa de pai para filho, envolve tradição, amor ao ofício, à terra e aos animais – eles estão sempre acompanhados por suas mulas, animais fortes que suportam as intempéries. Para eles, ter um trabalho assim, no qual você passa noites ao ar livre, lidando com as dificuldades climáticas, longe da família, requer uma fortaleza especial. E, por isso, gostam de dizer: “Só ficam os fortes”. E essa história de força, bravura, tradição e amor foi contada por um grupo de escaladores brasileiros. Em 2013, eles enxergaram a beleza do ofício desses homens, que passam despercebidos pelos olhos de quem os contrata. A rotina deles virou projeto fotográfico e documentário, que agora ganha mundo: Arrieros. O trabalho foi realizado por Alan Mendonça, Anderson Astor, Marcelo Curia e Tamires Kopp. “Eles são os verdadeiros gaúchos”, diz o fotógrafo Marcelo Curia



O documentário Arrieros e outros trabalhos da Terramar Filmes podem ser conferidos em terramarfilmes.com.br

29/06/2017 - 11:51

Conecte-se

Revista Vida Simples