Designers brasileiros fazem a primeira capa de prótese colorida do mundo

Além de devolver o volume da perna, a capa incentiva a reabilitação aumentando a autoestima a um custo mais acessível

Letícia Gerola

O case deles fez o Brasil conquistar seu primeiro Leão na história da categoria Product Design | <i>Crédito: Divulgação
O case deles fez o Brasil conquistar seu primeiro Leão na história da categoria Product Design | Crédito: Divulgação

A humanidade não precisa de mais belos projetos mudos, mas ela grita por mais significado, empatia, função e emoção – é isso que pensa a Furf, desenvolvedora da Confete, a primeira capa adaptável e colorida de prótese de perna produzida em massa no mundo. Além do propósito funcional de devolver o volume da perna, a função da prótese é principalmente emocional: colorida, barata e adaptável, incentiva a reabilitação e autoestima do amputado, a um custo acessível. 
                Fabricada em poliuretano para tornar o produto mais econômico, adaptável e durável, com uma redução de custo de 80% em relação a outros produtos similares no mercado. Os designers da Furf Design Studio, de Curitiba, foram premiados em Cannes. O case deles fez o Brasil conquistar seu primeiro Leão na história da categoria Product Design. Maurício Noronha e Rodrigo Brenner, sócios fundadores do Furf, explicam como foi o processo criativo da prótese:

O que inspirou a equipe a desenvolver esse produto?

Quando uma pessoa utiliza uma prótese, ela fica apenas com um tubo metálico no lugar da perna. Diversos fatores internos e externos contribuem para impactar a autoestima dessas pessoas. O propósito da empresa é funcional (devolver o volume da perna) e especialmente emocional: queremos incentivar a reabilitação e autoestima do amputado, a um custo bastante acessível.

Que elementos do design da prótese podem contribuir para a melhora da autoestima de quem vai utiliza-la?

As próteses que temos hoje no mercado não são muito atrativas esteticamente, a maioria tenta imitar a pele – sem muito sucesso. Montamos uma prótese acessível, colorida e leve. Homens, mulheres, crianças, avós, ricos e pobres - todos podem usá-la em momentos de galeria. É a primeira capa de prótese de perna adaptável e colorida produzida em massa no mundo.

A prótese teve uma redução de custos de 80% em relação aos demais modelos no mercado. Como vocês conseguiram essa redução?

Acreditamos que bom Design é democrático e poético. Imagine se toda vez que você quisesse uma peça de roupa nova, fosse necessário ir ao alfaiate? Muito mais complexo. Criamos um único modelo, adaptável e produzido em massa, que serve tanto para homem quanto mulher, perna direita ou esquerda, alto ou baixo. Ela foi fabricada em poliuretano para tornar o produto mais econômico, adaptável e durável. 

04/07/2017 - 16:17

Conecte-se

Revista Vida Simples