Admire a paisagem

A realização não deve estar só na chegada, precisamos aprender a curtir também o caminho, as derrotas e conquistas da jornada inteira

Paula Abreu

A realização não deve estar só na chegada, mas no caminho | <i>Crédito: Shutterstock
A realização não deve estar só na chegada, mas no caminho | Crédito: Shutterstock

Quando era criança, minha família viajava muito para uma espécie de colônia de férias aqui no Rio de Janeiro mesmo, em uma cidade pequena do interior. Enquanto o carro circulava ainda dentro da área urbana, eu gostava de dar tchauzinho, acenar, para as pessoas que estavam no carro de trás ou ao lado. E a minha maior alegria era quando elas acenavam de volta.
De repente, a paisagem começava a mudar e a gente podia ver as coisas que não faziam parte do nosso dia a dia, como pastos e vaquinhas. A primeira vaca que aparecia era altamente festejada, e as demais a gente contava, separando-as por cor: tantas pretas, tantas brancas, tantas malhadinhas, e assim por diante.
Num determinado momento da viagem, logo depois de uma grande curva, dava para ver ao longe o hotel, imenso, majestoso, no alto de uma montanha. Eu esperava com excitação essa curva. Às vezes, a confundia com outras e, quando o carro virava e nada aparecia, a minha expectativa só aumentava. 
Quando finalmente via o hotel ao longe, sabia que a viagem estava chegando ao fim, então aproveitava aquele restinho de paisagem verde, montanhas, vaquinhas e curvas sinuosas. “A felicidade não é uma estação aonde chegamos, e sim uma maneira de viajar”, já disse a poetisa Margaret Lee Runbeck. A questão é que, na vida adulta, passamos a fazer o contrário do que eu fazia quando criança. Estabelecemos um objetivo e, enquanto não o realizamos, não conseguimos apreciar mais nada. Isso tudo para, semanas, meses ou até anos depois, quando alcançamos a meta, descobrirmos que, embora ela seja o símbolo máximo do “sucesso”, isso não necessariamente traz felicidade. 
Muitas vezes, na luta por aquilo que mais desejamos, esquecemos que a felicidade está mesmo é no caminho, nos pequenos acertos, nos nossos aliados e nos nossos amigos que nos apoiam. No orgulho que sentimos quando dá tudo errado, caímos de bunda no fundo do poço, mas conseguimos nos reerguer com ainda mais garra do que antes (e o gostinho maravilhoso de poder jogar na cara daqueles que não acreditaram que iríamos conseguir).aula abreu é coach e autora do livro Escolha Sua Vida. Oferece meditação gratuita no
Talvez hoje você ainda não seja exatamente quem gostaria de ser, ou não esteja fazendo exatamente o que pretendia da sua vida. Talvez não tenha ainda encontrado aquele relacionamento com que sempre sonhou. Talvez a sua saúde ou o seu corpo não sejam ainda como você gostaria. Talvez você ainda não consiga ver significado no trabalho que faz hoje. 
Mas, enquanto você ainda não é ou faz aquilo que gostaria, enquanto esses desejos todos não se realizam, você está realmente admirando a paisagem ao redor? Se não está, comece hoje mesmo a fazer isso. 

Paula Abreu é coach e autora do livro Escolha Sua Vida. Oferece meditação gratuita no acreditaemedita.com.br

 

17/04/2018 - 14:13

Conecte-se

Revista Vida Simples